DIEESE destaca principais prejuízos para o trabalhador com a Reforma Trabalhista

Notícia postada em 16/05/2017

A proposta de Reforma Trabalhista defendida por Michel Temer (PMDB) – e que está em votação no Senado, é um presente do presidente ilegítimo para o empresariado que apoiou o golpe.
O desmonte na CLT derruba diretrizes que garantem condições mínimas de trabalho, privilegiando a ampliação do lucro através de uma legislação que permite o aumento da exploração do trabalhador.
Ponto como a abrangência do contrato por tempo parcial (de 25 horas para 30 horas semanais), o estabelecimento da prevalência do negociado sobre o legislado, a regulamentação da representação não sindical no local de trabalho em empresas com mais de 200 trabalhadores e a ampliação do prazo dos contratos de trabalho temporário (de três para seis meses) ajudam a deixar o empregado fragilizado diante do empregador.
Em nota técnica, o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) destrincha o projeto em três grandes pontos: condições de trabalho, organização sindical e negociações coletivas e aponta que a aprovação da proposta representará sérios prejuízos à classe trabalhadora.

 

Confira o documento completo aqui.

Fonte: DIEESE